terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Identidade Carismática


Para fortalecer a identidade carismática

Notícia postada dia 30 14:23:15-01-2011 | 01
A pregação do presidente do Conselho Nacional, Marcos Volcan, na manhã desse sábado (29), trouxe palavras de ânimo e encorajamento, além de ser um convite para que o processo de fortalecimento da identidade carismática .
Ele começou sua fala relembrando o tempo que a RCC do Brasil vive um tempo de reconstrução de suas muralhas, no qual o Movimento faz uma avaliação de sua caminhada ao mesmo tempo em que continua desempenhando a missão ao qual foi chamado.  Nesse contexto, Marcos pontuou algumas temáticas tratadas durante o ENF 2011 como a reflexão sobre ministérios feita por Reinaldo Beserra dos Reis, orientações sobre cuidado e ajuda ministerial a missionários, lideranças e pregadores; e as exortações à evangelização contidas na fala de Lucimar Maziero.
Ao falar sobre a necessidade de evangelizar, Marcos fez referência a experiência missionária realizada na tarde anterior durante a programação do ENF e anunciou  uma proposta missionária para toda a RCC do Brasil: fazer dos meses de maio e junho de 2011 ocasião de um grande levante de evangelização no nosso país. A ideia é que todos os Grupos de Oração se organizem no período proposto e realizem missões querigmáticas nas proximidades do local onde o Grupo se reúne semanalmente. A intenção é que a ação missionária seja encerrada com a festa de Pentecostes.
Fazendo projeções sobre o número de pessoas que podem ser atingidas se todos os Grupos aderirem à proposta missionária apresentada, Volcan incentivou o uso de todos os instrumentos para a divulgação dos GOs e completou: “somos valiosos aos olhos de Deus e por isso, fomos escolhidos para esse tempo. Vamos contar a história da RCC e evangelizar com toda a criatividade”.
Na sequência, foi apresentado o vídeo “Retrospectiva 2010” contando as bênçãos vividas pelo Movimento. Diante delas, Marcos enfatizou dois pontos de grande importância. Primeiro, enfatizou que Jesus é a razão e o Senhor de todas as atividades desenvolvidas que e mesmo que todos os empreendimentos da RCC tivessem dado errado, Ele continuaria sendo glorificado por todos. Depois, afirmou que temos avançado porque vivemos um momento de confiança, elevada expectativa e fé. “Deus quer. E eu me pergunto: o que temos a perder?”, afirmou.
Nesse sentido, o presidente do Conselho Nacional exortou os participantes a serem corajosos. Citando diversas passagens bíblicas nas quais Jesus pede coragem aos discípulos, Marcos alertou sobre como o medo pode paralisar a nossa caminhada. Segundo ele, muitas vezes, não começamos a fazer as coisas porque temos medo de  não conseguir concretizá-las. Dessa forma, o medo nos deixa sem ânimo – com uma verdadeira anemia espiritual, e faz esquecer-nos dos milagres que o Senhor realizou em nossas vidas. Fazendo uma referência aos avanços que a RCC teve em 2010, ele questionou: “Será que o Deus que nos conduziu até aqui é capaz de nos deixar morrer no deserto?”.  E partilhando sobre a história da doação do terreno da onde está sendo construída a Sede Nacional, afirmou: “vocês têm visto a mão de Deus, por isso podemos dar os próximos passos”.
O chamado de Deus para nós é atual e urgente. Marcos encorajou os ouvintes a manterem o ânimo e encararem as dificuldades como oportunidade de forja de caráter: “não percam tempo. O tempo não dá para ser guardado em estoque. Não deixe para depois o que Deus está pedindo para você já”, afirmou.
Com uma postura comprometida e sincera, sem triunfalismo ou romantismo, o presidente da RCC antevê quantas graças o Movimento terá para partilhar em 2017, ano que marca o jubileu de ouro da Renovação Carismática no mundo. Segundo ele, o segredo para sempre avançarmos é a unidade, “ela é um verdadeiro milagre que vai contra todas as impossibilidades”, concluiu.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentário