domingo, 27 de dezembro de 2009

Formação.

Ministério de Oração por Cura e Libertação

Há pessoas que Deus escolhe para exercer o ministério da libertação.
Este nível ocorre normalmente nos grupos ministeriados em libertação.
Há pessoas que Deus escolhe para exercer o ministério de libertação.
Todo batizado, membro ativo da Igreja de Jesus Cristo, fiel na vivência da fé e do Evangelho pode ser instrumento de Deus para fazer uma oração de libertação por alguém que esteja sendo tentado pelo demônio, mas não é aconselhável que qualquer batizado ministre libertação em casos mais graves.

Veja, tentação é diferente de opressão, e opressão é diferente de possessão! Nas situações de opressão, quem é ministeriado em libertação pode, e deve atuar. E na possessão só um exorcista autorizado pelo Bispo local pode atuar. Falaremos disto daqui a pouco…
Mas, há pessoas que Deus escolhe para exercer o ministério de libertação.
Há pessoas que Deus unge pelo Espírito para frequentemente ministrar a libertação a quem sofre opressão do diabo.

Neste ponto precisamos definir alguns conceitos para evitar interpretações equivocadas…
Os autores, estudiosos e os próprios exorcistas da Igreja usam termos diferentes na classificação dos graus de influência e ação do Maligno.
Tomei a liberdade de selecionar uma destas classificações que me pareceu bem didática.

Os graus da influência e da ação do maligno sobre o ser humano podem ser classificados em:
1- Tentação
2- Opressão
3- Infestação
4- Possessão
Os 4 graus de influência do diabo se apresentam cada um, com intensidades variadas.


Por exemplo: Existem tentações suaves, tentações de média intensidade, e tentações agudas, tenazes.

CONCEITOS IMPORTANTES PARA COMPREENDER ESTE ARTIGO:


A) TENTAÇÃO: Visa levar o homem à ruína espiritual; propõe um mal com aparência de bem, a fim de arrastar ao pecado. É uma incitação ao pecado. (Nem todas as tentações vêm do demônio, muitas vezes somos tentados pelas tendências da nossa carne inclinada ao pecado).


B) OPRESSÃO (ou OBSESSÃO): É uma influência que o diabo exerce sobre alguém, em alguma área do seu ser, ou da sua vida, sem, todavia impedir-lhe o uso da inteligência e do livre-arbítrio. Pode ser física e/ou psicológica.


Na física, o inimigo age sobre nossos sentidos externos: visão, audição, tato, olfato, etc.


Na psicológica, ele age sobre a imaginação, sobre a memória, sobre os sentimentos (ex.: idéias fixas, ódios, doenças emocionais, rancor agudo, desespero, angústia crônica, forte atração para o que é ilícito, concupiscências contínuas, etc.).


C) INFESTAÇÃO: É a ação que o demônio exerce sobre objetos, sobre elementos da natureza (minerais, vegetais, animais, etc.), sobre elementos atmosféricos (ventos, chuvas, raios, etc.), sempre visando prejudicar a pessoa humana e/ou afastá-la de Deus.


D) POSSESSÃO: É um domínio que um espírito maligno exerce sobre o corpo do homem, e indiretamente, sobre áreas da sua mente. O possesso não é moralmente responsável por seus atos, uma vez que não tem plena consciência deles. A ação maligna no possesso não é contínua, pois se manifesta por períodos de crise.
As pessoas que se envolvem com o ocultismo em geral (espiritismo, adivinhação, umbanda, candomblé, bruxaria, magia, wicca, esoterismo, etc.), normalmente terminam sofrendo por opressão ou infestação maligna.
As vítimas de malefícios, despachos, ou outros trabalhos e rituais ocultistas podem sofrer com esta mesma influência e ação.
No caso destas pessoas, a prudência e o bom senso recomendam que sejam atendidas por quem tem o ministério de libertação, e não por qualquer pessoa.
Exemplos em que somente uma pessoa ministeriada deve atuar:


1) Uma pessoa que quer deixar o espiritismo, mas sempre desmaia ou tem “ataques” ao entrar na Igreja, ou até mesmo nem consegue entrar na Igreja, pois passa mal…


2) Alguém que sempre vê vultos de pessoas ou seres estranhos, sempre ouve barulhos assustadores dentro de casa, não consegue dormir, tem pesadelos terríveis ou sente normalmente que alguém o puxou e acordou durante a noite…


3) Uma pessoa que, de repente, começa a falar com outra voz, se comporta como se fosse outra pessoa, demonstra ter conhecimentos que humanamente não teria como ter obtido, demonstra força acima das que normalmente possui…
Observação importante:
- O exorcismo solene da Igreja é diferente da oração de libertação feita por um leigo ou sacerdote ministeriado em libertação. O exorcismo só pode ser feito por um sacerdote designado pelo bispo diocesano para tal.
Aconselho você que se interessa em aprofundar seu conhecimento neste campo, que procure ler livros de autores católicos que tratam especificamente do tema, ou procure descobrir qual é o padre exorcista na sua Diocese e converse com ele.
Sempre é preciso ter muito critério para se fazer o discernimento sobre casos de influência maligna, pois existem enfermidades e distúrbios de ordem mental e psicológica que muito se parecem com manifestações de ação do maligno, porém nestes casos, a ajuda de um profissional da área é imprescindível.
Enfim, o essencial que quero partilhar com você, é que este nível de batalha espiritual deve ser ordinariamente vivenciado por quem recebe de Deus o ministério de libertação e foi treinado e formado para tal.

“Quando os espíritos imundos o viam, prostravam-se diante dEle e gritavam: ‘Tu és o Filho de Deus!’ (Mc 3, 11).

Isto continua acontecendo, pois Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje, e sempre! Ele está no meio de nós!

Seu Espírito está em mim e em você! Aleluia! Jesus é o Senhor!