sábado, 2 de outubro de 2010

3º Princípios de Discernimento

3º Princípios de Discernimento
Se um paciente for ao médico queixando–se de febre, o médico não lhe dará um remédio imediatamente mas, primeiro fará um diagnóstico para descobrir a doença da qual a febre é apenas um sintoma. Um diagnóstico errado pode resultar em paralisia e até em morte. Quanto mais importante é o diagnóstico espiritual ou discernimento. Então, quais são os princípios de um discernimento de confiança?


Primeiro, que o que for pensado, falado ou realizado, deve ser de acordo com a Sagrada Escritura e não ser contrário à sua interpretação reconhecida no magistério ordinário da Igreja.

Segundo, deve haver um profundo sentimento de paz dentro da pessoa por ela estar agindo de acordo com a inspiração do Espírito Santo, falando através de palavra de sabedoria e de palavra de conhecimento. Ao mesmo tempo há uma confirmação interior, tanto de sua experiência anterior como de conhecimento ganho através de livros e de conferências. Terceiro, o próprio Senhor muitas vezes confirma a ação, fechando umas portas e abrindo outras, enquanto a comunidade, por sua vez, confirma a ação dando sua aprovação depois, talvez devido à consulta com aqueles que têm mais experiência no assunto. Quarto, a confirmação final virá dos frutos e dos resultados da ação realizada, tanto a logo como a curto prazo. (Mt 7, 20)